Montanhas dos Pirinéus: rotas e conselhos para fazer

tresmiles pirineo

Escalar montanhas tem os seus riscos, mas esta prática pode ser vista de várias maneiras. Quando falamos dos Pirenéus, na maioria das vezes pensamos em esquiar e fazer snowboard, embora também possamos experimentar outras formas de adrenalina. O que gostava de conhecer nas montanhas dos Pirenéus? Descubra com a Décimas algumas das rotas mais emocionantes entre as montanhas de mais de 3.000 metros dos Pirenéus. O desporto e a natureza nas formas mais puras!

Quantas montanhas existem nos Pirinéus?

No mapa das montanhas de mais 3.000 metros dos Pirenéus deve haver mais de duas centenas de picos. No entanto, muitos mapas não incluem todas os picos na sua lista.

Em geral, as montanhas de mais 3.000 metros dos Pirenéus são classificadas em onze zonas ou setores com base na sua localização geográfica e no pico predominante em cada uma delas. As zonas mais famosas dos Pirenéus são as seguintes:

 

  1. Balaitús – Infierno – Argualas.
  2. Vignemale.
  3. Monte Perdido.
  4. La Munia.
  5. Neouvielle – Pic Long.
  6. Culfreda – Bachimala.
  7. Posets – Eriste.
  8. Clarabide – Perdiguero.
  9. Maladeta – Aneto.
  10. Besiberri.
  11. Pica d’Estats.

As 5 montanhas mais fáceis de percorrer nos Pirenéus

Como já dissemos, nos Pirenéus há um total de 217 montanhas acima de 3.000 metros, com 93 rotas de acesso diferentes. São 414 itinerários que levariam muito tempo até serem concluídos. Além disso, levar-nos-ia muito tempo para completar as 10 montanhas acima dos 3.000 metros dos Pirenéus. Portanto, a Décimas apresenta as 5 rotas com mais de 3.000 metros mais fáceis dos Pirenéus. Para que possa desfrutar das altas montanhas da melhor maneira possível.

Rota 1

Monte Perdido (3.355 metros). Esta rota tem um grande desnível e, embora seja uma das mais fáceis dos Pirenéus, convém tomar certas precauções, sobretudo quando há neve. Há duas alternativas:

 

  1. Dois dias de caminhada desde Torla, partindo do prado de Ordesa.
  2. Um dia de caminhada a partir de Nerín.

 

A primeira alternativa é a mais comum, mas requer experiência e uma boa condição física.

Rota 2

Pico de Taillón (3.144 metros). É também conhecida como Punta Negra e, embora existam várias opções para atingir este pico, todas elas requerem cerca de 8-10 horas de caminhada para chegar ao destino. Há grandes desníveis e é necessário equipamento adequado para subir a montanha. A rota mais conhecida parte de Bujaruelo, mas é também a mais complicada.

Rota 3

Gran Astazu (3.071 metros). É preciso um dia inteiro para completar esta rota nos Pirenéus. Há uma encosta íngreme, pelo que é preciso estar em muito boas condições físicas para completar o percurso. A subida é pelo Valle de Pineta e pelo caminho pode ver algumas das paisagens mais maravilhosas dos Pirenéus.

Rota 4

Punta de Comalesbienes (3.014 metros). Esta rota é bastante fácil. Começa no reservatório de Cavallers, no Vale do Boí, e termina no Lago Sant Maurici. No entanto, há um certo declive e convém utilizar equipamento específico para completar a rota em segurança.

Rota 5

Pico de Robiñera (3,003 metros). Esta rota é mais fácil do que as anteriores. É ligeiramente menos íngreme e, embora o terreno seja escarpado, pode ser concluído em cerca de 8-10 horas. É perfeita para iniciantes que ainda não conhecem a diferença entre trekking e as caminhadas. E oferece cenários espetaculares ao longo de todo o caminho. Muito recomendável!

 

Lembre-se de tomar todas as precauções necessárias para completar a sua rota e escolher sempre a que melhor se adapta à sua condição física. Se não tem experiência, conte com a ajuda de instrutores profissionais. Mas, acima de tudo, desfrute dos altos picos dos Pirenéus!

Be Sociable, Share!

Leave a Comment