Treinar com ridigez é uma boa ideia?

entrenar con agujetas

Certamente já ouviu falar que a rigidez pode ser aliviada com mais exercício, mas a realidade é que forçar demasiadamente os limites do corpo pode ser prejudicial. Afinal, será mesmo uma boa ideia treinar com rigidez muscular? Vamos ver o que pode acontecer se continuar a treinar com rigidez.

 

Pode-se fazer exercício com rigidez?

 

A rigidez é o resultado de um exagero no esforço muscular. São micro lesões nas fibras musculares que ocorrem quando submetemos os nossos músculos a uma carga de exercício a que não estão habituados.

É bastante normal sentir esta rigidez após longos períodos de inatividade.

Existem diferentes teorias sobre o treino com rigidez. É verdade que fazer exercício com rigidez pode ser contraproducente porque o nosso corpo precisa de tempo para recuperar após o esforço. Mas também é verdade que é bom fazer exercício com rigidez.

Então, o que fazer: treinar com rigidez ou descansar? É possível treinar com rigidez. De facto, é até mesmo recomendável. Mas desde que se siga uma rotina de treinos, com um aquecimento prévio.

 

Como treinar com rigidez

Treinar com rigidez é bom mas, como já dizemos, deve estar atento aos sinais do seu corpo. Se a dor for muito intensa, convém fazer uma pausa para se recuperar. Mas se consegue aguentar, pode dar prosseguimento ao seu treino, de acordo com estas recomendações:

 

  • O alongamento é uma parte essencial do seu treino que nunca deve faltar. Ganhará elasticidade muscular e a sua recuperação será mais rápida.
  • Quando treinar com rigidez, os tempos de repouso serão essenciais para evitar lesões. É preferível realizar um treino rápido e aumentar a carga gradualmente.
  • O exercício aeróbico ajuda a ativar os músculos para que estes se recuperem antes da rigidez.
  • A rigidez pode ser o resultado de um treino demasiado intenso. Reduza a intensidade dos seus treinos e gradualmente aumente o ritmo.

 

O objetivo do treino com rigidez é trabalhar dentro das nossas possibilidades, aumentando pouco a pouco a intensidade de modo a não sobrecarregar o nosso corpo. O ritmo não deve ser acelerado quando se tem rigidez, porque isso poderá provocar mais dor.

 

Quando não se deve treinar com rigidez?

Como já dissemos, nem sempre é aconselhável treinar com rigidez. Há situações em que é melhor não forçar a máquina, pois o nosso corpo está a dizer-nos que já fizemos demasiado trabalho.

Quando a dor é aguda, é melhor não treinar com rigidez e fazer o repouso que tanto merecemos.

É verdade que, quando começamos a praticar desporto, a rigidez dura mais dias, mesmo se treinarmos todos os dias. Isto acontece porque os nossos músculos ainda não estão habituados.

Nestes casos, se a dor for suportável, podemos continuar com a nossa rotina desportiva até atingirmos o ritmo desejado. Mas se a dor for intensa, mesmo se já estivermos um pouco habituados a fazer exercício, devemos baixar o nível dos nossos treinos e seguir as recomendações que vimos na seção anterior para treinar com rigidez.

 

Lembre-se de que o excesso de esforço pode custar-lhe uma lesão mais grave, por isso deve sempre ouvir os sinais que o seu corpo lhe dá.

 

E, para evitar rigidez, a chave é não querer chegar ao seu limite logo no pimeiro dia de treino. As dores aparecerão de tempos a tempos mas, uma vez que o nosso corpo se habitua a elas, serão muito mais suaves e suportáveis. Claro que é proibido abandonar o desporto se não quisermos que os nossos músculos, ossos e articulações doam por consequência do sedentarismo. A Décimas encoraja-o a continuar a treinar!

Be Sociable, Share!

This post is also available in: Espanhol Francês

Leave a Comment